Uncategorized

Pesquisa

Caro(a) docente,

Me chamo Ciro de Souza Cardoso Ribeiro, mestrando do Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Recursos Hídricos (POSMARH) da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), e estou lhe convidando a participar de uma pesquisa cujo objetivo é o de analisar a influência das variações meteorológicas sobre o presenteísmo (ir trabalhar mesmo adoecido) na atividade dos docentes do ensino superior.

Para participar do estudo você deverá preencher um breve questionário disponível em https://bit.ly/meterologia_e_presenteismo (tempo de preenchimento: aproximadamente 10 minutos).

A realização desta pesquisa foi aprovada por um comitê de ética em pesquisa e sua participação será absolutamente sigilosa, não constando seu nome ou qualquer outro dado que possa identificá-lo(a) no manuscrito final ou em qualquer publicação posterior da pesquisa.

Qualquer informação adicional acerca da pesquisa pode ser solicitada pelo contato  d2021103101@unifei.edu.br

A sua colaboração será muito importante para o sucesso desta pesquisa, pela qual, somos muito agradecidos, enfatizando que a mesma em muito contribuirá para a construção de um conhecimento sobre o tema.

Atenciosamente,

Ciro de Souza Cardoso Ribeiro

Nossa homenagem à aposentadoria da Profa. Ana Lúcia

Nossa homenagem à aposentadoria da Profa. Ana Lucia

É com imensa alegria, e já com saudades, que anunciamos a aposentadoria da Profa. Ana Lúcia Fonseca.

Profa. Ana Lúcia é formada em Ciências Biológicas pela UNESP, com mestrado e doutorado em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela EESC/USP. Ingressou na então EFEI em fevereiro de 1999, acompanhou a transição da EFEI para Unifei e a criação do IRN em 2004, sendo a primeira vice-diretora desta Unidade Acadêmica.

Suas pesquisas se concentram na área de Ecologia Aquática, com ênfase em Ecotoxicologia, atuando nos seguintes temas: estudo do ciclo de vida de espécies de regiões tropicais e subtropicais com potencial usos nos ensaios ecotoxicológicos, efeitos de cianotoxinas em organismos aquáticos e potencial para saúde humana. Na Unifei, criou e atuou como chefe do laboratório de Biologia e Limnologia e, entre 2007 e 2008, realizou pós-doutorado no Instituto de Biofísica da UFRJ.

Como docente da Unifei, ministrou as disciplinas Ciências do Ambiente, Ecologia Aplicada, Ecologia Geral, Fundamentos de Ecologia e Limnologia e Saneamento Ambiental na graduação. Participou da criação da Pós-Graduação em Meio Ambiente e Recursos Hídricos, onde ministrou disciplinas como Desafios Socioambientais, Ecotoxicologia Aquática, Qualidade de água e Qualidade do ar.

Em sua carreira publicou 20 artigos científicos, concluiu 12 orientações de mestrado, 17 trabalhos de conclusão de graduação e 24 projetos de iniciação científica. Nos últimos anos teve atuação marcante em projetos de extensão com ações de tratamento de esgoto nas zonas rurais de Itajubá, educação em saúde e meio ambiente, prevenção e controle da Dengue, uso e consumo de água com qualidade e economia, consumo de alimentos saudáveis produzidos em horta urbanas, reciclagem, dentre outros.

Ana Lúcia fará falta ao IRN. Como pesquisadora é reconhecida como uma das pioneiras na área de Ecotoxicologia no país. Além disso, teve uma atuação marcante na consolidação e manutenção do curso de Ciências Biológicas em nossa Universidade. Mas, foi seu espírito colaborativo, sua dedicação e sua preocupação com os mais desfavorecidos, que proporcionaram diversas ações para que as pesquisas e atividades da Unifei saíssem de dentro de seus muros e atingissem as comunidades carentes de nosso entorno.

É muito difícil resumir a trajetória profissional da Ana Lúcia neste breve texto de homenagem à sua aposentadoria. Porém, recordo a frase de José Saramago, em sua obra “Todos os nomes”, para sintetizar a bonita carreira acadêmica, com forte atividade extensionista, de nossa colega Ana Lúcia: “O que dá o verdadeiro sentido ao encontro é a busca e que é preciso andar muito para alcançar o que está perto“. 

Divirta-se nessa nova fase da vida. 

Todo nosso carinho para você, Ana!

Ação socioambiental em conjunto com a Escola Estadual Ana Laura Pereira

Durante o ano de 2021, os estudantes de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Recursos Hídricos (POSMARH) fizeram uma ação socioambiental em conjunto com a Escola Estadual Ana Laura Pereira, localizada no Bairro da Piedade em Itajubá. 

Essa ação foi dividida em três encontros educativos, ministrados pelos estudantes do POSMARH aos alunos da Escola Ana Laura Pereira. 

O primeiro encontro tratou da sustentabilidade e da consciência ecológica.

O segundo da importância da água e energia em nossas vidas como economizá-las;

O terceiro encontro levou conceitos sobre recursos naturais e o consumo consciente. 

Para finalizar o projeto, os estudantes do POSMARH distribuíram, como presente, uma squeeze (garrafinhas plásticas não descartáveis) para cada aluno da Escola Ana Laura Pereira. 

Essa ação visou diminuir o consumo de copos descartáveis, visto que os bebedouros não estavam sendo utilizados devido a pandemia.  Visando solucionar este problema, a equipe se mobilizou e fez uma campanha para arrecadar os recursos financeiros necessários para a produção de 300 squeezes. 

A entrega das squeezes aos alunos foi realizada no dia 18/02/2022 e teve, também, o objetivo de fortalecer os conceitos socioambientais trabalhados durante o projeto. 

Agradecemos a ótima receptividade dos alunos e funcionários da escola!

O que regula a transpiração das plantas em condições de deficiência hídrica é tema de artigo publicado na Journal of Forestry Research

A professora Fabrina Bolzan Martins @fabrina_bolzan e os colaboradores Marcel Abreu (professor da UFRRJ), Álvaro Soares (professor da UFU) e Cleverson Freitas (aluno de Doutorado da Esalq) @cleverfreitas publicaram o artigo intitulado “Transpiration and growth responses by Eucalyptus species to progressive soil drying” na Journal of Forestry Research (A3 na nova classificação da CAPES e JCR 2.15).

Entender a forma com que as plantas regulam a transpiração é uma questão chave no dimensionamento dos sistemas de irrigação e no uso de água, especialmente em condições de deficiência hídrica.  Este artigo buscou elucidar grandes dúvidas relacionadas a este tema, como: 1) quais os mecanismos que governam o uso de água em condições de deficiência hídrica? 2) A saída de água pela transpiração é regulada pelo conteúdo de água no solo ou pela demanda evaporativa da atmosfera? 3) Quais as estratégias de adaptação das plantas em condições de deficiência hídrica? 

Para responder essas questões, este artigo avaliou variáveis fisiológicas e morfológicas de crescimento e desenvolvimento de mudas de espécies de eucalipto submetidas à deficiência progressiva de água no solo. Dessa forma, foi possível verificar que as espécies de eucalipto apresentam a estratégia “conservadora” na qual as plantas reagem ao déficit hídrico i) reduzindo o crescimento, ii) aumentando a senescência das folhas; e iii) reduzindo a transpiração pelo fechamento estomático. 

Além disso, quem governa a transpiração é o conteúdo de água do solo, não a demanda evaporativa, e as mudas de eucalipto não conseguem alterar a eficiência do uso de água em condições de deficiência hídrica. Tais resultados são um avanço no entendimento do consumo de água por espécies de eucalipto.

Os recursos para a condução dos experimentos e para a publicação do artigo foram exclusivamente custeados pelo IRN.

O artigo pode ser consultado na íntegra em: https://link.springer.com/article/10.1007/s11676-021-01448-z

Publicação na revista Urban Climate

Alunas do POSMARH publicaram um importante artigo

As alunas de mestrado Aline de Freitas, Paula Oda, Débora Teixeira, Paola Silva e Ivana Riêra do POSMARH (Mestrado em Meio Ambiente e Recursos Hídricos) da UNIFEI, juntamente com o professor Enrique Mattos publicaram essa semana o artigo “Meteorological conditions and social impacts associated with natural disaster landslides in the Baixada Santista region from March 2nd–3rd, 2020” na revista Urban Climate (Qualis A2, Fator de Impacto=5.731).

O artigo apresenta os resultados da análise dos impactos sociais/econômicos e as condições meteorológicas e de superfície que deflagraram o desastre natural que ocorreu na Baixada Santista em 2020.

O desastre revestiu-se de grande importância porque provocou a morte de 44 pessoas, 680 mil pessoas foram afetadas, 17 pessoas ficaram feridas e provocou um prejuízo econômico de US$40 milhões.


Este artigo é resultado da disciplina denominada “Desastres Naturais” lecionada pelo professor Enrique Mattos no POSMARH. O artigo contou com a colaboração dos pesquisadores Tulius Nery (CEMADEN), Daniel Metodiev (CEMADEN) e Ana Paula Paes (CEMADEN) e Weber Gonçalves (UFRN).

Leia a publicação agora mesmo. 

Dia da Engenheira Ambiental

31 de janeiro o Dia da/o Engenheira/o Ambiental

Instituído em 1997, o país homenageia neste 31 de janeiro o Dia da/o Engenheira/o Ambiental.  

Divulgamos entre a comunidade do IRN esse breve artigo, cujo link segue abaixo, publicado no Jornal GGN sobre o dia do engenheiro ambiental, redigido pelo Prof. Luiz Felipe Silva em parceria com três colegas da UFABC.
https://jornalggn.com.br/meio-ambiente/engenharia-ambiental-engajada-na-justica-socioambiental-o-brasil-nunca-precisou-tanto/

Possível Convênio para Estudos sobre Drenagem

No dia 13/12/2021 o IRN recebeu a visita do Prefeito Christian Gonçalves e do Vice-Prefeito e Secretário de Saúde de Itajubá, Dr. Nilo Baracho, para discutir os detalhes sobre um possível convênio entre a Prefeitura @prefeituradeitajubaoficial e a Unifei para estudos sobre a drenagem em bairros de Itajubá.

Estiveram presentes, o Diretor do IRN, Prof. Marcelo de Paula Corrêa, o Vice-Diretor do IRN, Prof. Paulo Gonçalves, a Coordenadora do Curso de Eng. Civil, Profa. Adinele Gomes Guimarães, e a Profa. de drenagem do Curso de Eng. Hídrica, Profa. Ana Paula Moni Silva.

#irn_unifei#unifei_ofical#prefeituraitajuba

[Notícias IRN] - Prof Roger Torres

Publicação de docente do IRN/Unifei na Nature Climate Change

Gostaríamos de compartilhar com vocês a recente publicação de nosso colega do IRN, Prof. Roger Torres, no renomado periódico científico Nature Climate Change (fator de impacto: 25,2) – https://www.nature.com/articles/s41558-021-01221-4.pdf

O artigo traz uma excelente análise sobre a importância da pesquisa transdisciplinar como crítica para o avanço em nossa adaptação às mudanças climáticas, cujos esforços ainda enfrentam barreiras sistêmicas, políticas e culturais, em nosso país.

É um artigo curtinho, mas de grande importância para pautar as nossas colaborações e atividades científicas. 

Parabéns ao Roger e aos demais co-autores. 

Leia o artigo na íntegra a seguir.