Projeto Águas do Pessegueiro

CAMPANHA DA FRATERNIDADE – 2017

Biomas brasileiros e defesa da vida

Cultivar e Guardar a criação

Convênio com o Projeto Água dos Pessegueiro

Arquidiocese de Pouso Alegre/Paróquia São José Operário

Recursos de $10.000,00 – Fundo de Solidariedade da Igreja Católica

Associação dos Moradores do Bairro Pessegueiro.

Resumo

Palavras- chave: Poços, cisternas, nascentes, contaminação fecal e total

O bairro Pessegueiro possui 200 famílias e, o abastecimento de água na maioria das residências é efetuado pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA). No entanto, algumas casas e setores do Bairro utilizam água de outras fontes, como poços, cisternas e nascentes. Para tanto, o presente projeto identificou estas fontes de abastecimento de água utilizadas pela população para posterior avaliação bacteriológica. Inicialmente foi realizada a confecção de um mapa do bairro com a localização de cada fonte. Foi identificado que o bairro possui três setores (Bairro Central, Recanto dos Fernandes e Recanto dos Guimarães). O grau de contaminação fecal e total foi verificado em 28 residências, em que a maioria apresentou resultado positivo. Mediante tais resultados, foram propostas alternativas como a instalação de cloradores entre a fonte e a caixa d água e o uso de filtro de barro. Além disso, foi identificado que a fonte desta contaminação é o lançamento de esgoto in natura em locais próximos a estas fontes. Foram apresentadas propostas de saneamento a baixo custo para a comunidade e ações de educação ambiental com o tema água e saúde. Tais ações mitigadoras serão estudadas para posterior implementação num projeto futuro como continuidade deste diagnóstico inicial.

Objetivos

Objetivo Geral

Objetivos Específicos

Resultados

Águas de abastecimento
23 cloradores instalados

28 filtros de barro entregues

Remoção dos E. coli

Concentração de cloro livre dentro dos padrões

Água de qualidade

Qualidade de vida

Fácil instalação e manutenção

Mapas de localização das nascentes e Ensaios Bacteriológicos

Por meio de técnicas de geoprocessamento foram os mapas com a localização dos setores do Bairro (Figura 1) e a localização das nascentes, poços e cisternas (Figuras 2 e 3). Tais informações foram essenciais para a realização das etapas posteriores que foram à identificação in loco destas fontes e a coleta de amostras de água para ensaio bacteriológico (Tabela 1).

Os resultados da presença/ausência de coliformes fecais e totais indicou que grande parte das fontes de captação de água de abastecimento foram positivas, com destaque para as residência R7 e R9 cujo grau de contaminação foi incontável. Posteriormente, em visita a campo foi identificado que a razão disso é a presença de um curral de criação de bovino a montante da cisterna de água de abastecimento e as residências são próximas. Por outro lado, a residência R18 possui uma água isenta de contaminação.

O resultado das devidas análises foram entregues individualmente para cada morador em reunião no centro comunitário com a presença dos líderes comunitários e o Padre Thiago Raymundo. (Figura 4)

Figura 1 - Localização do Bairro Pessegueiro, com os setores.
Figura 1 - Localização do Bairro Pessegueiro, com os setores. Fonte: Pet Ambiental 2018
Figura 2 A) Mapa de distribuição de casas no centro do Pessegueiro. B) Mapa de nascentes no Centro do Pessegueiro.
Figura 2 A) Mapa de distribuição de casas no centro do Pessegueiro. B) Mapa de nascentes no Centro do Pessegueiro.
Figura 3 - A) Mapa de distribuição de casas no Recanto dos Fernandes. B) Mapa de nascentes no Recanto dos Fernandes.
Figura 3 - A) Mapa de distribuição de casas no Recanto dos Fernandes. B) Mapa de nascentes no Recanto dos Fernandes.

Tabela 1 - Análises coliformes totais e fecais por residência

Figura 4 – Entrega dos resultados das análises bacteriológicas em reunião com a comunidade. Outubro de 2018
Figura 4 – Entrega dos resultados das análises bacteriológicas em reunião com a comunidade. Outubro de 2018

Ações de Educação Ambiental

Foram promovidas algumas ações de educação ambiental tanto pelos alunos da graduação (Figura 5), como da pós- graduação (Figura 6). Tais atividades envolveram a importância da conservação dos rios, riachos, nascentes para o próprio consumo da água e as implicações na saúde das pessoas. Para tanto foram confeccionadas cartilhas e distribuídas para os moradores.

Figura 5 – Ecossistema fechado. Fonte Grupo Educação Ambiental- Graduação (2018)
Figura 5 – Ecossistema fechado. Fonte Grupo Educação Ambiental - Graduação (2018)
Figura 6 – Entrega de cartilhas. Alunos MEMARH/2018.
Figura 6 – Entrega de cartilhas. Alunos MEMARH/2018.

Diagnóstico preliminar da qualidade bacteriológica das águas de abastecimento dos poços; cisternas e nascentes.

Poço que abastece 3 residências, sem acesso a água da COPASA

Conclusões e Recomendações

Os resultados do diagnóstico da qualidade da água dos poços, cisternas e nascentes utilizadas como fonte de abastecimento indicou que a principal razão desta contaminação é o lançamento de esgoto in natura próximos a estas fontes. Para tanto, ações mitigadoras foram propostas como a construção de fossas sépticas biodigestoras (Modelo Embrapa – Figura 7), ou mesmo tanques de evapotranspiração (figura 8). Tais propostas foram dimensionadas pela equipe de alunos do MEMARH, visando a sua instalação, bem como de outras soluções para o bairro.

Figura 7 - Fossas sépticas biodigestoras: Fonte Embrapa, 2014
Figura 7 - Fossas sépticas biodigestoras: Fonte Embrapa, 2014
Figura 8 - Tanques de evapotranspiração
Figura 8 - Tanques de evapotranspiração

Ações realizadas

Cloradores

Funcionamento

1

A água passa pelo sistema e entra em contato com a pastilha de cloro.

2

O cloro começa a reagir com água, agindo como desinfetante.

3

Água limpa e sem riscos para a saúde!

Vantagens

Dicas de uso

Equipe do Projeto Águas do Pessegueiro

Informo que os professores Alexandre Augusto Barbosa, Hisaías de Souza Almeida, Benedito Claudio da Silva e Rogério Melloni não participaram do projeto, assim como o técnico administrativo André Luiz V. Barouch e a aluna PET Gabriela Costa Dias Chaves, componentes estes inseridos inicialmente na equipe técnica do Plano de Trabalho registrado na PROEXT/UNIFEI.

Na tabela abaixo, está listado a equipe executiva do projeto juntamente com a devida carga horária.

Referências Bibliográficas

EMBRAPA

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Como montar e usar a fossa séptica modelo Embrapa, 2014.

EMATER

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER). Tanque de Evapotranspiração, 2014.

Trecho do córrego: Esgoto doméstico

TEVAP